Entre as pessoas que usam cheque especial, 40% fazem isso todos os meses, dizem SPC e CNDL


O cliente acaba caindo no cheque especial geralmente de forma automática, quando não tem saldo suficiente para cobrir os gastos de sua conta. — Foto: Shutterstock 

Segundo o levantamento, 1 em cada 4 pessoas dizem ter utilizado o limite do cheque especial nos últimos 12 meses.
   
Entre as pessoas que usam o limite do cheque especial, 40% fazem isso todos os meses. É o que aponta pesquisa divulgada nesta quarta-feira (11) pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), adiantada ao G1. Outros 30% dizem que usam a cada 2 ou 3 meses.

Com que frequência você usa o cheque especial?
Pergunta feita somente aos entrevistados que usaram essa modalidade de crédito nos últimos 12 meses.

O cheque especial é uma linha de crédito pré-aprovada oferecida pelos bancos. O cliente acaba caindo nessa modalidade geralmente de forma automática, quando não tem saldo suficiente para cobrir os gastos de sua conta. O problema é que o cheque especial é conhecido por ter a taxa de juros mais alta entre as opções de crédito do mercado, de mais de 300% ao ano.

"É um erro incorporar o limite do cheque especial como parte da renda. Essa ilusão pode levar o consumidor a gastar mais do que o orçamento permite e ver sua dívida se transformar em uma bola de neve muito difícil de ser paga", disse em nota o educador financeiro do SPC José Vignoli.

Segundo o levantamento, feito com mais de 800 pessoas, 20% dos consumidores dizem ter utilizado o limite do cheque especial nos últimos 12 meses. O percentual aumenta para 21% se considerados apenas os consumidores homens. Na divisão por faixa de renda, as pessoas de classe A e B também usam mais essa linha de crédito (26%, contra 18% das classes mais baixas).

A pesquisa revela ainda um dado sobre a forma como as pessoas caem no cheque especial. A maioria dos consumidores (68%) receberam o crédito do banco ou instituição financeira de forma deliberada, sendo que 35% caíram nessa linha sem ter solicitado. A parcela dos que pediram para o banco ou instituição é menor, de 24%.

Como você caiu no cheque especial?
Pergunta feita somente aos entrevistados que usaram essa modalidade de crédito nos últimos 12 meses.

Especialistas recomendam que a opção do cheque especial seja utilizada somente em último caso, pois a taxa de juros cobrada por essa modalidade de crédito é bastante elevada. Nesse cenário, imprevistos com doença e medicamentos foi a resposta mais citada pelos consumidores como motivo que os levaram ao cheque especial. Veja abaixo a lista completa:

Por que você caiu no cheque especial?

Imprevistos com doenças e medicamentos: 24,7%
Descontrole no pagamento das contas: 24,6%
Pagamento de contas perto de vencer: 23,3%
Imprevistos com manutenção de carro/moto: 18,1%
Pagamento de dívidas atrasadas: 17,3%
Imprevistos no conserto de imóveis: 15,6%
Compra de algo que queria: 13,9%
Compra de mantimentos para a casa: 10,6%
Uso sem perceber por não entender o extrato: 8,9%
Para ter desconto em alguma compra à vista: 6,7%
Outro dado revelado pela pesquisa é que a maior parte (52,9%) das pessoas que usaram o cheque especial nos últimos 12 meses não tentaram buscar outra alternativa antes de cair nessa linha de crédito. Outras 33% dizem que tentaram, mas não conseguiram. (Fonte: G1)


COMPARTILHAR