Março Lilás -Campanha de Prevenção do Câncer de Colo de Útero


O mês é dedicado à conscientização e prevenção do câncer de colo de útero, considerada a terceira causa de mortalidade no Brasil - 

            O câncer de colo de útero, denominado também de câncer cervical, é causado por infecções resistentes por alguns tipos do Papilomavírus Humano (HPV), chamados de tipos oncogênicos.

            Na maioria das vezes, a infecção genital por este vírus não causa doença mesmo apresentando certa frequência. Porém, em alguns casos, as alterações celulares podem evoluir para o câncer.

            Considerada a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil, o câncer de colo de útero é o terceiro tumor mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e do colorretal.

            A campanha “Março Lilás” objetiva levar informação e conscientizar as mulheres para os cuidados com a prevenção contra o câncer de colo de útero, além de alertar sobre a importância de buscar ajuda médica ao identificar os principais sintomas.

Causas e Fatores de Riscos do Câncer de Colo de Útero
            O desenvolvimento do câncer de colo de útero ocorre quando as células da região se multiplicam de maneira descontrolada devido às mutações genéticas.

Geralmente esse tipo de alteração celular está relacionada à presença de alguns tipos de vírus HPV, muito comum em mulheres. O tumor evolui a partir de uma lesão precursora que pode ser causada pelo HPV se não tratadas por muitos anos.

Os fatores de risco do câncer de colo de útero envolvem  o uso prolongado de pílulas anticoncepcionais, tabagismo, histórico familiar e início precoce da vida sexual e múltiplos parceiros.

Os Primeiros Sinais do Câncer de Colo de Útero
            O câncer de colo de útero possui um desenvolvimento lento, sem causar sintomas em estágio inicial. No entanto, em casos mais avançados o tumor pode causar:

- Corrimento vaginal anormal, com coloração e odores incomuns;
 - Sangramento vaginal durante a relação sexual, entre as menstruações ou após a menopausa;
 - Dor durante a relação sexual ou na pelve;
 - Problemas urinários ou intestinais;
 - Perda de peso involuntária;
 - Anemia, devido ao sangramento frequente;
 - Dores nas costas ou nas pernas.


Prevenção do Câncer de Colo de Útero
A transmissão do vírus HPV, responsável pelo surgimento do câncer de colo de útero, é decorrente de relações sexuais e a medida preventiva mais recomendada para evitar esse tipo de vírus (além de outras doenças sexualmente transmissíveis) é o uso da camisinha.

            Além disso, a campanha “Março Lilás” reforça a importância da prevenção do tumor para que a taxa de mortalidade seja cada vez menor e que as mulheres possam ter mais qualidade de vida com as seguintes orientações:

Exame Preventivo do Câncer de Colo de Útero
         Trata-se do principal meio de prevenção contra o câncer de colo de útero. O exame Papanicolau detecta lesões precursoras e acusa a presença da doença no organismo de maneira rápida e simples.

            O ideal é que mulheres entre 25 e 65 anos de idade que tem/tiveram uma vida sexual ativa realize o exame preventivo a cada três anos caso os resultados sejam normais. Agora, se houver a presença do tumor, será necessário repetir o exame em um período mais próximo.

Vacinação Contra HPV
            O Ministério da Saúde estendeu o direito à vacina tetravalente contra HPV para meninas de 14 anos e meninos de 11 a 14 anos de idade. A vacinação protege contra os subtipos: 6, 11 (causadores de verrugas genitais) e 16 e 18 (responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo de útero em mulheres).

            Mulheres vacinadas a partir dos 25 anos deverão realizar periodicamente o exame preventivo periodicamente, visto que a vacina não protege o organismo contra os subtipos cancerígenos do HPV.  

Tratamentos do Câncer de Colo de Útero
            Entre os tratamentos mais recomendados está a cirurgia, a radioterapia ou em condições mais graves, a quimioterapia.

            Cada caso deve ser avaliado e acompanhado por um médico para receber o tratamento adequado de acordo com o tamanho do tumor, seu estágio e fatores como a idade.

            Apoie a campanha “Março Lilás” e previna-se! (Fonte: Agille)


COMPARTILHAR