INSS deixa quase um milhão de pessoas na fila da perícia médica



Este é o mês de março em que a fila ficou maior nos últimos quatro anos - foto divulgação - 


O  Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS)  acumula quase um milhão (996.867) de pedidos na fila de espera por perícia média, segundo dados do Ministério da Previdência Social, obtidos pela Globonews por meio da Lei de Acesso à Informação. Essa fila é composta por pessoas que já têm data para realizar os exames.
Entre os benefícios que precisam de análise pericial para serem liberados estão o Benefício de Prestação Continuada (BPC) a auxílios por incapacidades e pensão por morte, por exemplo.

O número de pessoas à espera do exame é o maior para um mês de março dos últimos quatro anos. Em 2020, eram 726.894 brasileiros aguardando perícia, nesse ano, os agendamentos pararam por conta da pandemia. No mesmo mês em 2021, o número caiu para pouco mais de 635 mil pessoas. Em março do ano passado, o número voltou a crescer e ultrapassou 828 mil.

O INSS estuda a implementação de mutirões para reduzir a fila de espera tanto para pedidos de aposentadoria quanto de auxílios. Segundo a pasta, a ideia é que os servidores já estejam nas ruas ainda neste mês.

No ano passado, os médicos peritos entraram em greve , o que provocou represamento dos pedidos.

Segundo o levantamento que a Globonews teve acesso, no Brasil, a cada 100 mil habitantes, 566 estão na fila da perícia médica do INSS. Os estados com os maiores índices são Piauí, com 1.320 pessoas na fila a cada 100 mil habitantes; Alagoas, com 1.153; e Rondônia, com 1.023.

Além destas, outras sete unidades da Federação também têm índice acima da média nacional. São elas: Sergipe, Mato Grosso, Ceará, Tocantins, Distrito Federal, Maranhão e Bahia. (Fonte: Brasil Econômico)

Notícias Feeb/PR


COMPARTILHAR