Bradesco é condenado a pagar R$ 3.000 para cliente que teve R$ 11 retirados de sua conta


Após caso envolvendo cliente que teve R$ 11 retirados de sua conta, Bradesco se vê condenado a pagar R$ 3 mil. Veja os detalhes (Por Amanda Sampaio) - foto Paulinho Costa feebpr - 

Após caso envolvendo cliente que teve R$ 11 retirados de sua conta, Bradesco se vê condenado a pagar R$ 3 mil. Entenda os detalhes envolvendo o caso e a motivação pela qual a instituição financeira teve sua condenação.

O banco foi condenado por danos morais em virtude de uma série de descontos realizados da conta de uma aposentada do INSS. Segundo as informações, o valor seria referente à contratação de um serviço de seguro.

Conforme as informações divulgadas, a vítima nunca realizou a contratação do serviço junto ao Bradesco. Dessa maneira, a decisão teve conclusão pela Primeira Câmara Especializada Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba.

Dinheiro sendo retirado da conta sem contratação de serviço
Segundo apurado e informado pela vítima do caso e seus advogados, o Bradesco realizou retiradas de dinheiro sem a contratação de nenhum serviço, prejudicando financeiramente a aposentada do INSS desde 2021.

A divulgação do caso informa que as retiradas no valor de R$ 11 ocorriam desde março do ano de 2021. Entretanto, não existem provas apresentadas pelo banco que possam comprovar a contratação do serviço.

Sendo assim, a desembargadora Fátima Maranhão, envolvida na investigação, destacou que o banco Bradesco deve ser responsabilizado pelo ocorrido. A decisão leva em consideração que a falta de provas de contratação indica uma prática abusiva da instituição financeira contra a vítima.

Decisão sobre o caso envolvendo o Bradesco
Com a recorrência ao tribunal aprovada em favor da vítima, o banco viu-se obrigado a arcar com a indenização por danos morais. Após a condenação, o Bradesco deve realizar o pagamento do valor de R$ 3 mil para a aposentada.

Ademais, em vista da decisão tomada sobre o caso, ainda cabe ao banco entrar com recurso para reavaliação do que foi apresentado. No entanto, faz-se difícil acreditar que a gigante financeira possa vencer o caso sem apresentar provas concretas que comprovem a contratação do serviço. (Fonte: Seu Crédito Digital)

Notícias FEEB PR


COMPARTILHAR