27 de setembro é o Dia Nacional da Doação de Órgãos



CÚPULAS DO CONGRESSO NACIONAL FICARÃO ILUMINADAS NA COR VERDE PARA LEMBRAR A IMPORTÂNCIA DE SER UM DOADOR E SALVAR VIDAS. REPORTAGEM DE REGINA PINHEIRO

O Dia Nacional da Doação de Órgãos foi criado por lei em 2007 para realizar campanhas de estímulo à doação. Ao promover a Campanha Setembro Verde, a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos alerta para a diminuição do número de doadores em razão da pandemia. Alguns órgãos podem ser doados em vida, como rim e fígado. Outros dependem do diagnóstico de morte cerebral e de autorização da família. O Ministério da Saúde orienta aos futuros doadores que conversem com os familiares e autorizem por escrito a doação dos órgãos e tecidos. Para conscientizar a população sobre a importância desse gesto, as cúpulas do Congresso Nacional ficarão iluminadas na cor verde a pedido do senador Nelsinho Trad do PSD de Mato Grosso do Sul e do Deputado Zacharias Calil do União de Goiás. Nelsinho Trad, que é médico, afirmou que um doador pode salvar até cinco vidas.

Diga sim à doação de órgãos e salve até as 5 vidas que aguardam por uma segunda chance na fila de transplantes. O Brasil tem o maior programa público de transplante de órgãos de tecidos e de células do mundo. Aqui pacientes recebem assistência integral gratuita, incluindo exames pré-operatórios cirurgias acompanhamento e medicamentos pós transplante pela rede pública.

Nelsinho Trad também lembrou que a nova carteira de identidade passou a trazer indicação sobre a condição de doador.

Metade das famílias brasileiras se nega a doar órgãos. Se você deseja ser doador de órgãos avise sua família sobre sua vontade. A partir deste ano a nova carteira de identidade brasileira já passou a indicar se o cidadão é doador de órgãos ou não. Você só precisa manifestar o seu desejo no momento em  que fizer o documento. A doação só é feita se houver morte encefálica,  um processo absolutamente irreversível. Ajude a fazer com que muitas histórias continuem a ser contadas. Faça parte dessa corrente do bem: seja um doador.

Segundo o Ministério da Saúde, mais de 50 mil brasileiros aguardam na fila do transplante de órgãos. A maioria está à espera de um rim. O transplante de córnea é o segundo com maior número de pacientes na lista. Da Rádio Senado, Regina Pinheiro. (Fonte: Rádio Senado)

Notícias Feeb/PR


COMPARTILHAR