CAIXA - Movimento sindical cobra sobre teletrabalho, metas, PDV, contratações e banco de horas


O movimento sindical reuniu-se com a Caixa Federal, semana passada,  e debateu vários assuntos de interesse dos empregados, como teletrabalho, metas, contratações e banco de horas.

No início da reunião, os representantes dos empregados protestaram contra a charge publicada no jornal A Tarde denegrindo a imagem dos trabalhadores da instituição e do próprio banco. Infelizmente a Caixa não emitiu sinais de que vá tomar alguma atitude contra o jornal.

Sobre a reestruturação, os representantes da Caixa afirmaram que isso não está ocorrendo, mas sim mudanças que visam a redução de custos e reorganização interna. As mudanças estão causando muita apreensão e ansiedade entre os trabalhadores, pois a Caixa tem tomado medidas unilaterais e surpreendentes, como por exemplo, a entrega de prédios e mudanças de unidades.

Com relação ao teletrabalho, o banco não tem interesse em constar no acordo o controle da jornada, situação que gerou discordância do movimento sindical, pois a falta de controle poderá ocasionar problemas de saúde em virtude do excesso de serviço. Ainda sobre este acordo, a intenção da Caixa é adotar um modelo híbrido, ou seja, parte presencial e parte em home office. Para os representantes dos empregados, a principal premissa do teletrabalho é o caráter opcional, ou seja, que não seja imposto pela empresa.

Outra questão apresentada ao banco foi o pagamento de ajuda de custo para cobertura de despesas como energia e internet.
A Caixa apresentou proposta abrindo a possibilidade do empregado estender sua jornada em mais duas horas em determinada semana, para posteriormente compensar com um dia completo. Este assunto voltará a ser debatido nas próximas reuniões, pois os empregados já sofrem com sobrecarga de trabalho em virtude do pagamento emergencial e do trabalho aos sábados.

PDVB E CONTRATAÇÕES
Em virtude dos desligamentos que surgirão por causa do PDV, foi cobrado da Caixa a contratação de mais empregados, pois sem reposição haverá ainda mais sobrecarga de trabalho. A Caixa informou que não tem autorização do governo para realizar contratações e que os clientes mudaram seus hábitos, procurando canais alternativos de atendimento que não demandam atendimento presencial.
A Caixa informou também que o trabalho remoto continua até o dia 30 de janeiro de 2021 e que diante das cobranças do movimento sindical, vai negociar junto ao governo federal um calendário de pagamentos que não demande trabalho aos sábados.


COMPARTILHAR