Bancários de Curitiba aprovam paralisação contra destruição do BB


Funcionários do Banco do Brasil da base do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários, Financiários e Empresas do Ramo Financeiro de Curitiba e região aprovaram, em assembleia online realizada ontem, 25 de janeiro, paralisação por prazo determinado, das 00h00 até às 23h59 do dia 29 de janeiro. A mobilização, que será realizada na sexta-feira, foi aprovada por 80% dos bancários que votaram na assembleia.

“A redução de funcionários e de remuneração pretendida por essa desestruturação anunciada destrói o ambiente de trabalho. Quem se sente motivado em uma empresa que te trata assim? Esta reestruturação é isso: destruição do emprego decente! Crédito de Bolsonaro e Guedes que servem senhores do ‘deus mercado’ em detrimento do povo brasileiro, dono majoritário do banco. Fora Bolsonaro!”, declara a representante do Paraná na CEBB, Ana Smolka.

Por que os funcionários do BB vão parar?
No dia 11 de janeiro, a direção do BB anunciou um novo processo de reestruturação que irá impactar 870 pontos de atendimento no País, desativar 361 unidades do banco e reduzir o atendimento à população. A redução da rede de atendimento do BB virá acompanhada ainda de um Programa de Adequação de Quadros (PAQ) e de um Programa de Desligamento Extraordinário (PDE), que tem como meta a demissão de 5.000 funcionários. Tudo isso sem nenhuma negociação com as entidades sindicais que representam os funcionários do BB.

Calendário de lutas
Desde o dia 21 de janeiros, os funcionários do BB estão mobilizados em diversas atividades que compõem o calendário de lutas aprovado em reunião da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB). As atividades incluem mobilização nas redes sociais, tuitaços, abaixo-assinado, reuniões com os funcionários online ou nos locais de trabalho, colagens e panfletagens, além do uso de roupas pretas para trabalhar. (Fonte: Seeb Curitiba)


COMPARTILHAR