Sindicatos e BB iniciam negociação sobre bancos incorporados


Os sindicatos, federações de bancários e o Banco do Brasil abriram nesta terça-feira, 1º de dezembro, o processo de negociação sobre os bancos incorporados (Banco Nossa Caixa/BNC, Banco do Estado de Santa Catarina/Besc e Banco do Estado do Piaui /BEP).

No que se refere ao Economus, os  dirigentes sindicais destacaram a urgência em discutir as questões de saúde, diante do quadro financeiro do Fundo Economus de Assistência Social (Feas).

E mais: os dirigentes sindicais protestaram contra a postura do Economus durante reunião do Conselho Deliberativo, no último dia 6 de novembro, que aprovou o reajuste dos planos de saúde com o chamado “Voto de Minerva”; às vésperas da abertura do processo de negociação. Os conselheiros eleitos pelos participantes, cabe lembrar, votaram contra o reajuste durante a citada reunião do Conselho. Inclusive os dirigentes sindicais reivindicaram a suspensão do reajuste, que entra e vigor no dia 1º de janeiro de 2021.

Os sindicatos, federações e o BB retomam o processo de negociação na próxima semana. “Ressaltamos que o melhor caminho é a negociação, destaca a diretora do Sindicato e representante da Federação dos Bancários de SP e MS na Comissão de Empresa dos Funcionários (CEBB), Elisa Ferreira, que participou da reunião virtual.

Avaliação
Para o presidente da FEEB SP/MS, Jeferson Boava, “após onze anos da incorporação do Banco Nossa Caixa e as pendências existentes, iniciamos essa negociação com o propósito de resolver os problemas, principalmente em relação ao plano de saúde. O banco tem que caminhar no sentido de acabar com a segregação entre os seus funcionários. E contamos com a atenção e mobilização para alcançarmos nosso objetivo”. O vice-presidente da FEEB SP/MS, Davi Zaia também participou da reunião virtual, assim como dirigentes das Fetecs de SP e SC.

Pauta de reivindicações:
Cassi e Previ para todos os funcionários egressos de bancos incorporados.
Considerar, para todos os efeitos, o tempo de serviço e o histórico profissional dos funcionários egressos do Banco Nossa Caixa, desde sua posse naquela instituição, principalmente para pontuação nos sistemas de concorrências internas do Banco para ascensão profissional (TAO).

Isonomia de direitos e benefícios, inclusive quanto ao pagamento de PLR, programas próprios de remuneração variável e outras premiações internas do Banco, e quanto aos sistemas de concorrência e promoção internas no Banco do Brasil, principalmente para os bancários egressos da Nossa Caixa que não aderiam ao Regulamento de Pessoal do BB.

Assegurar o direito à utilização das garantias contidas Cláusulas 38º (PAS Auxílio), 20º (Auxílio Funeral) e 39º (Adiantamentos) do ACT BB para todos os funcionários egressos do Banco Nossa Caixa, notadamente àqueles que não aderiam ao Regulamento de Pessoal do BB.

Assegurar o direito de migração para Cassi de todos os funcionários do BB egressos do Banco Nossa Caixa e/ou afiliados ao Economus, sejam funcionários da ativa ou todos os aposentados, na mesma forma do regulamento atual da Cassi, retroagindo para cômputo dos direitos estatutários desde a incorporação dos funcionários egressos em 12/2009.

Efetuar a migração de todos os planos de previdência do Economus (A, B, C e PrevMais) para administração da Previ, respeitados seus respectivos estatutos atuais vigentes, no melhor formato que vise atingir a segurança financeira e previdenciária dos bancários egressos do Banco Nossa Caixa. (Fonte: Seeb Campinas)


COMPARTILHAR